Thanks for your visit. Comments or contact: sissym.mascarenhas@hotmail.com

sábado, 31 de julho de 2010

Insuperavel Brandura













Quando você for defrontado por alguém violento,
que o agrida verbalmente ou o ameace fisicamente,
recorde-se de que ele é muito infeliz.
Todo aquele que não recebeu amor na infância ou
foi vítima de insucessos emocionais, sempre perde o
endereço de si mesmo e se torna inimigo dos outros.
Conceda-lhe a graciosa dádiva da bondade que não o
torna mais desventurado.
Não há quem resista a um indisfarçável gesto de benevolência.
Surpreendido pela astúcia dos perversos,
sempre hábeis na arte de infligir sofrimentos aos outros, tenha
em mente que eles são também impiedosos para consigo mesmos.
A sua desorientação provém de experiências amargas,
nas quais sofreram crueldades e abandono.
Proporcione-lhes o ensejo de despertar, dando-lhes compreensão.
Ninguém recusa amor, mesmo que, aparentemente reaja com aspereza,
o que é falta de hábito em recebê-lo.
No pandemônio da revolta que grassa violenta em toda parte,
anunciando desastres morais e conjunturas físicas dolorosas,
reserve-se o direito de permanecer em paz.
O aturdimento que procede de alguns poucos,
facilmente contamina o grupo social que se perturba.
O agitador, é alguém que se sentiu desrespeitado nos seus direitos
de criança e, na ocasião, não soube administrar a ira nem a frustração,
agora tornadas bandeiras de comportamento doentio.
Seja amistoso para com ele, apresentando-lhe o outro lado da existência humana.
O ser carente vive armado contra tudo e todos,
até o momento em que se sente rociado pela presença da brandura.
No crepitar das labaredas das acusações e calúnias contra alguém,
gerando situações asfixiantes e más,
continue portador de generosidade para com a vítima.
Quem delinqüe, perde-se no labirinto de terríveis alucinações morais.
Não fustigue mais o desditoso, antes aplique temperança para com ele.
O solo que arde, não pode receber mais calor, e sim,
água refrescante que lhe diminua e aplaque a temperatura elevada.
Todos somos sensíveis à compreensão de alguém para conosco.
Perseguido pela inveja ou malsinado pela insensatez daquele que
não gosta de você, resguarde-se na compaixão para com ele.
A insegurança que o leva a afligi-lo é resultado da família com a qual
viveu e de quem somente recebeu lições de impiedade e malquerença.
Ele gostaria, por certo, de ser como você, e,
na impossibilidade de que se dá conta, tenta amargurá-lo.
Ofereça-lhe o silêncio em resposta de brandura,
que o alcançará inexoravelmente, alterando-lhe a atitude interior.
Nada pode detê-la, e quem a recebe jamais prossegue como antes.
Na raiz de muitos males, que afligem e desconcertam a criatura,
o desamor de que foi objeto, na atual ou em anterior reencarnação,
é o responsável pelo seu transtorno.
Naturalmente, quem lhe experimenta o aguilhão impiedoso
deseja libertar-se, defendendo-se e acusando, reagindo.
Não existe, porém, defesa real quando se agride nem se
conquista harmonia quando se entra em debates de violência.
Nunca aceite as injunções do mal nem as arruaças dos desordeiros,
simplesmente deixando de conceder-lhes consideração.

Você cresce na vertical do amor,
tendo por dever levantar caídos e
nunca torná-los mais vulneráveis
ao mal que neles reside.
Viva com brandura e esparza-a,
tornando o mundo melhor e
as criaturas menos desesperadas.


Somente quem ama e se reveste de bondade pode resistir aos conflitos e
desafios perturbadores da sociedade agressiva que prefere ignorar o Bem.


Marco Prisco
Londres, 21-6-98 .
(De “Luzes do alvorecer”, de Divaldo P. Franco – diversos espíritos)

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Desejo e Despudor













A loucura faz parte da gente
a loucura e o tenso despudor
o despudor e o desejo latente
sensações secretas do interior

Vontade de possuir e de saciar
apetite sexual ou de fazer algo
nesta noite de virada e de luar
se aninha de modo requintado

Imagino que

os corpos se agitam no compasso
despem-se rápidos e sem pudor
entregam-se em ardente amasso
durante cálidas horas deste amor

ahhh... suspiro...


Então, ousada e ao seu lado
fantasiando libido sem ensaio
o êxtase já tomou significado
réplica ao tesão desde o início

Falta pouco... pouco para tocar
o seu corpo másculo e inesquecível
o meu lateja o desejo de se entregar
ao delirante prazer apetecível.

(por Sissym)




A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios.
Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente,
antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.
Charles Chaplin

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Bandalhas nas ruas da Gavea


Já faz tempo que estou para redigir este texto. Devido ao falecimento de Rafael Mascarenhas, se tornou urgente e necessário revelar: aqui, na Gavea, se concentram os piores motoristas.


Eu creio que poderia escrever páginas e páginas a respeito. Eu imaginava que 30 minutos seriam suficientes para gravar ou fotografar alguma infração cometida por motorista, de qualquer tipo: onibus, vans ou particulares. Erradíssima: 10 minutos bastam.

Aponto primordialmente a velocidade descabida para um local urbano e cheio de escolas. A Rua Marques de São Vicente abriga pilotos ensandecidos. A curva que se faz para a Rua Vice-Governador Rubens Berardo é um teste de aptidão para ingressar na Fórmula I ou Race Truck. São pilotados por motoristas de carros de passeios de luxo e de onibus, sempre eles!

Sinais?! Semáforos?! Faróis?!

Para que servem mesmo?!!!

Ah... para os motoristas, especialmente de onibus: avançarem, ultrapassarem!


Atropelamentos?

Cogitava que o pior lugar seria entre as duas ruas citadas acima, que nada, a campeã é outra que corta a Marques, Rua Professor Manoel Ferreira, esta sim, esta ganha. Provavelmente moradores apontem outras, indiquem sim, porque os motoristas estão sem freios!

O sinal que fica em frente ao Gavea Trade Center (Marques São Vicente) é um aparelho de dois tempos. O da esquerda é para entrar na Vice-Governador e o da direita é para seguir em frente, sentido Rocinha. Acontece que o da direita passam diversos motoristas, especialmente de onibus, prontos para virarem a esquerda, quando os carros a sua esquerda estão pa-ra-dos!!!!

Com isso, no penultimo dia de aula de minha filha, quase fomos atropeladas por um louco ao volante de uma lotação! E eles nem olham para trás, não se dão conta do "quase" que fizeram!


As vans que sobem e descem para a comunidade da Rocinha fazem o "balão" na Manoel Ferreira, em frente a padaria, quando os sinais estão abertos para.... os pedestres! Cuidado galera, eles não páram!

Não posso falar com leniência sobre um assunto que diariamente se repete a cada minuto, minuto! Lembrem que eu falei que 10 minutos são suficientes para assistir a alguma bandalha!

Antigamente havia policiamento nas ruas, especialmente onde tem os sinais de transito, mas isso já tem tempo... uns 2, 3, 4, ou 5 anos ou mais. Certa vez, comentaram pelas ruas que um guarda de transito tomou uma surra por ter multado uma van, ele foi hospitalizado, depois disso ele parou de trabalhar aqui.

Se num bairro pequeno é possível encontrarmos à luz do dia situações de total falta de respeito às pessoas e às leis que nos regem, não é de se espantar (sim, lamentar profudanmente) que jovens como Rafael venham a morrer.

Eu poderia apontar mudanças significativas para melhoria do bairro, contudo, não tenho como modificar o comportamento de pessoas que se sentem "possuídas" quando estão ao volante.


(por Sissym)


  • A primeira igualdade, é a justiça.
  • Há pessoas que observam as regras de honra como se vêem as estrelas: de longe.
Victor Hugo

A Viagem




















A viagem não acaba nunca.
Só os viajantes acabam.
E mesmo estes podem prolongar-se em memória,
em lembrança, em narrativa.
Quando o visitante sentou na areia da praia e disse:
"Não há mais o que ver", saiba que não era assim.
O fim de uma viagem é apenas o começo de outra.
É preciso ver o que não foi visto,
ver outra vez o que se viu já,
ver na primavera o que se vira no verão,
ver de dia o que se viu de noite,
com o sol onde primeiramente a chuva caía,
ver a seara verde, o fruto maduro,
a pedra que mudou de lugar,
a sombra que aqui não estava.
É preciso voltar aos passos que foram dados,
para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles.
É preciso recomeçar a viagem.
Sempre.

José Saramago

domingo, 25 de julho de 2010

Volátil



Assim eu estou nesses últimos dias
voando... flutuando... sonhando...
recordando os momentos de alegrias
imaginando... pensando... chorando

É o vazio

Quando olhamos fixamente e sem ver
mergulhados em escuras profundezas
intocáveis memórias vivas a remexer
ser ou não ter, somente as incertezas

Arde e palpita

Nada ouço, nem cantos dos pássaros
algumas vezes apenas ondas batendo
no coração sensível corre em disparos
energias mutáveis estão desdobrando

Contemplação

Sem punir nas fendas do sofrimento
saindo vertiginosamente do abismo
desprendendo paixão do isolamento
e as letras conduzidas ao empirismo

Volátil

Como a lua é para a noite, ilumina
Como o sol é para o dia, energético
Como a paixão para o amor, eterna
A vida, a morte, a dúvida, é místico

Assim...

Eu confesso este momento de tristeza
procuro ver a alegria de novo reinar
nos reconcavos sinceros da fraqueza
sou humana, solitária, pronta a amar.


(por Sissym)

Aquele que nunca viu a tristeza,
nunca reconhecerá a alegria.

Khalil Gibran

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Quem é o bobo?


Conta-se que numa pequena cidade do interior um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado de pouca inteligência, que vivia de pequenos biscates e esmolas. Diariamente eles chamavam o bobo ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas uma grande de 400 réis e outra menor, de dois mil réis. Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos. Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos.


"Eu sei" - respondeu o não tão tolo assim - "ela vale cinco vezes menos, mas no dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda".

"Pode-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa".

1. A primeira: quem parece idiota, nem sempre é.
2. Dito em forma de pergunta: quais eram os verdadeiros tolos da história?
3. Outra: se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda.
4. Mas a conclusão mais interessante, a meu ver, é a percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.
5. Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas o que realmente
somos.


"O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota
diante de um idiota que banca ser o inteligente".
(autor desconhecido)

As cores das estrelas

Curiosidade:

Cada estrela depende de sua temperatura superficial para ter uma cor. As cores podem ser vermelhas, laranjas, amarelas, azuis e brancas. As estrelas mais frias apresentam cores avermelhadas (que representam entre 2.500 a 3.800 graus), as mais quentes são azuladas (significam mais de 30.000 graus). O SOL tem uma temperatura de cerca de 6.000 graus e com isso lha dá uma cor amarelada.


Fonte: Fundação Planetário (www.planetariodorio.com.br)

domingo, 18 de julho de 2010

Alegre-se



Alegre-se.

A paz se firma à medida que a alegria é usada.

O sorriso aprofunda a paz e faz com que ela resista

aos contratempos, sejam quais forem.

Com a tristeza, não há como enfrentá-los.

Como uma pessoa enfraquecida na paz poderá

sair-se bem dos momentos difíceis?

Sorria. Tenha sempre com você lembranças

de fatos felizes, de reserva.

Um bom olhar, uma boa palavra, um bem que

você faz constituem uma fortaleza de

paz que nada pode derrubar.

Mais alegria, mais paz.


Lourival Lopes

sexta-feira, 16 de julho de 2010

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Viver a vida: sem discriminação

Já tem algum tempo que eu queria colocar este depoimento no meu blog. Eu não assistia a novela Viver a Vida, mas nos últimos capítulos resolvi sentar um pouco para vê-los. Os depoimentos me tocavam, cada um era um ensinamento. Este, para mim, foi um deles que me chamou a atenção.





Infelizmente, os melhores anos da infância não devem passar sofridos. Quais serão as lembranças dela?!


"A vida é breve, mas cabe nela muito mais
do que somos capazes de viver."

Saramago



segunda-feira, 12 de julho de 2010

Por onde voce for...

Hoje e sempre, eu quero:

Tempo para pensar antes de falar; serenidade para agir depois de falar; perseverança para continuar agindo depois de começar; humildade para reconhecer que preciso de outras pessoas; sinceridade para falar o "não" que preciso falar; lealdade comigo mesmo, para não me comparar com ninguém; e fé na medida da razão, para eu continuar fazendo, sem esperar que qualquer coisa caia do céu sem o meu esforço.


"Assim, podemos seguir confiantes,
certos da vitória sobre nós mesmos,
sobre as nossas dificuldades em entender,
o porque de certas situações."

Quando não há resposta,
devemos seguir trabalhando,
certos de que, no devido tempo,
tudo será esclarecido, elucidado
e concluído.

Assim, compreender que a felicidade
é a recompensa natural,
dos que insistem em fazer tudo direito,
mesmo quando todos insistem em fazer errado.

"Somos os construtores dos nossos sonhos,
responsáveis pelos nossos passos."
O que semeia, o que planta e o que vai colher.
Por isso, semeie amor,
por onde você for.

Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Para refletirmos

A tempestade espanta.
Entretanto,
acentuar-nos-á a resistência,
se soubermos recebê-la.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Sabedoria e Relaxamento

Procure demonstrar firmeza em todos os momentos.
A pessoa sem coragem de defender suas opiniões
é como uma folha na ventania.
Nunca sabe para aonde está sendo levada

(Minuto de Sabedoria)



A alegria não está nas coisas: está em nós.
Goethe (escritor alemão)

sábado, 3 de julho de 2010

Um "conto" verdadeiro



1 Dunga, 11 sonecas e 190 milhões de zangados!

Até 2014, quem sabe, né?!