Thanks for your visit. Comments or contact: sissym.mascarenhas@hotmail.com

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Carrasco da Infância









Ele brincou de fazer casinha
logo, o Coisa se arrependeu
fez do casamento sua latrina
dissimulando, o mal exerceu.

Omisso e calado, era perigoso
sua mulher amargou a invasão
do olhar dele muito pernicioso
tomou-lhe a liberdade, solidão

Mentia, sinistramente... mentia
a vítima era ela, porém distorcia
pobre homem cuja alma doentia
maltratava em palavras, apatia

Num certo dia nasceu a princesa
linda, pura, cresceu na violência
sua genitora sem força e defesa
queria renascer longe da tirania

A coragem chegou, não a justiça
esta se faz de cega ou é parcial?
permite chantagens pela cobiça
de bens materiais, é tão bestial!

A infância foi roubada, explícito
ao menos permita sua puerícia
transcorra na paz, que suplício
disseminando a dor e covardia

Assim, ele, o carrasco da infância
segue guerrilha imoral-patológica
quer desancar a mãe da inocência
mortificando de forma categórica.

(por Sissym)




"Minha força está na solidão.
Não tenho medo nem de chuvas
tempestivas nem de grandes
ventanias soltas, pois eu também
sou o escuro da noite.
-Clarice Lispector
"

Compartilhe esse artigo:

Related Posts with Thumbnails Related Posts with Thumbnails

14 comentários:

  1. Esse poema me pareceu muito realista em forma de desabafo, buscando a justiça.
    A fé expressa no salmo 23 é a que remove as montanhas dos nossos caminhos.
    Parabéns pelo post.
    João

    ResponderExcluir
  2. Saudações!
    Excelente Post!
    Amiga Sissym, é a moldura de um retrato vivenciado por alguém que precisa que as janelas da alma fiquem abertas para o céu!
    Parabéns pelo Post!
    Abraços fraternos,
    LISON.

    ResponderExcluir
  3. Sissym,
    Já li muita coisa interessante e emociante em seu blog. Parabéns.
    Tambem gosto imenso do Salmo 23.
    Eninha

    ResponderExcluir
  4. Muito lindos os seus versos, Sissy, apesar d tristes, o que retrata o seu talento como poetisa, pois consegue tranmitir toda a carga emotiva às palavras.
    Parabéns pelo post!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Sissym,

    Um desabafo maduro onde impera a dor e o ressentimento. A luta pela justiça tem que continuar!

    Beijos
    Luísa

    ResponderExcluir
  6. O texto é profundo. Chega a ser de uma grande amargura. Mas o que me tocou foi a frase final de Clarice Lispector. Foi como se eu lesse para mim.

    ResponderExcluir
  7. Sissym, que poesia forte, um desabafo, um grito de justiça, um choro eterno!
    Forte....
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  8. Sissym,

    Às vzs vejo vc postando, ora coisas doces, ora nem tão doces. Percebo uma amargura que me preocupa, sinal de que sua tranquilidade e alegria vivem ameaçadas!!

    Realmente, me preocupo com vc!! Espero que esteja eu errado, que não passe de uma impressão momentânea minha!!

    Bjs e fique na paz!!

    ResponderExcluir
  9. Sissym,

    Às vzs vejo vc postando, ora coisas doces, ora nem tão doces. Percebo uma amargura que me preocupa, sinal de que sua tranquilidade e alegria vivem ameaçadas!!

    Realmente, me preocupo com vc!! Espero que esteja eu errado, que não passe de uma impressão momentânea minha!!

    Bjs e fique na paz!!

    ResponderExcluir
  10. Forte e coerente, equilibrou a sensibilidade com a coragem e resgatou a dúvida.

    Parabéns!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Sissym,

    A justiça de Deus é precisa. O dia há de chegar em que homens sem justiça sejam julgados por Ele. Tenha fé!

    Beijocas

    ResponderExcluir
  12. Nossa que poema triste e carregado de emoção Sissym.... infelizmente a justiça dos homens é morosa e por vezes desleal o que leva a muitas crianças sentirem na pele o descompenso de pessoas que só fazem mal às outras. Mas a justiça divina é certeira nela nãoa dianta se esconder, pagar por falsos testemunhos nem nada..na hora do acerto final é só a pessoa e Deus.

    Comovente o poema, tão cheio de verdades tristes que sabemos estar presente no mundo.
    Beijos miga, parabéns.
    Márcia Canêdo

    ResponderExcluir
  13. Olá Sissy,

    A escuridão por sobre ti avançou e a sombra oprimiu teu peito, roubando tua voz e teu coração.

    Mas a luz veio e reinou absoluta sobre as montanhas de dor para como amalgama retirar de teu sitios de amargura..

    Mas a luz se fez acompanhar da paz que como esperança, dias novos trará..

    Abraço

    ResponderExcluir

Recados: sissym.mascarenhas@hotmail.com
Obrigada