Thanks for your visit. Comments or contact: sissym.mascarenhas@hotmail.com

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Alienação Parental

Eu recebi a indicação para assistir A Morte Inventada (http://www.amorteinventada.com.br/), não deixem de ver é uma fantástica apresentação, entre candura da imagem e a dura realidade.
Eu fiquei emocionada porque neste ano eu vi na ficha escolar de minha filha o meu nome de "mãe" apagado pelo pai dela e no lugar foi escrito a do avô. Ou seja, eu MORRI... naquele dia eu morri um pouco mesmo. O vilipendio do pai e avós paternos quanto às necessidades de nossa filha e ao meu amor incondicional por ela me deixa profundamente preocupada, visto que amanhã ela pode apresentar problemas seríssimos na vida adulta e eu desejo que ela seja feliz.

Nunca, jamais, eu desejei que ela deixasse de ter a companhia paterna e dos familiares dele, apenas que fosse harmonioso e normal, o que toda criança merece.

Enquanto escrevo, lembro-me com pesar do que vi e li, não me sinto segura, semana que vem será uma audiência atrás da outra. Acontecerá o esperado encontro com a psicóloga da justiça, desejo que ela perceba que sofri violência doméstica e continuo sofrendo violência psicológica, porque usam minha filha de escudo para me tirar o chão.

O texto que segue abaixo retirei do Youtube, sobre Alienação Parental, não vou reescrever nada de outras pessoas, até aqui é meu, para lá não me pertencem, porém preciso divulgar o trabalho deles, para o bem de outras pessoas:


"O documentário "A Morte Inventada" tem como objetivo estimular a discussão sobre a Alienação Parental, nomenclatura pouco conhecida entre nós, mas que se refere a um comportamento bastante comum.

A
Alienação Parental, descrita em meados da década de 80 pelo psiquiatra infantil norte-americano, Richard Gardner, revela-se como uma situação na qual um genitor procura afastar seu filho ou filha do outro genitor intencionalmente. Essa alienação é realizada através de informações contínuas no intuito de destruir a imagem do genitor alienado na vida da criança. Na maioria das vezes, a mãe ou o pai que praticam essa alienação, obtém êxito, e o filho permanece, durante anos, acreditando naquela visão distorcida. Em alguns casos chega até mesmo a ocorrer a falsa acusação de abuso sexual como último recurso para romper definitivamente o vínculo entre o genitor alienado e seu filho.

Infelizmente, durante o processo de separação, os filhos acabam sendo o principal instrumento para agredir o ex-companheiro. As crianças vítimas da Alienação Parental carregam para sempre os sinais desse tipo de violência, podendo desenvolver, na fase adulta, distúrbios
psicossociais severos.

O documentário "
A Morte Inventada" propõe disseminar o assunto entre pais, psicólogos, advogados, juízes, promotores, assistentes sociais, pediatras e todos os envolvidos neste drama familiar. Essa violência tão frequente e tão pouco conhecida não pode continuar destruindo a relação entre pais e filhos. "








"NÃO SEI SE É UTOPIA TER UMA VIDA EM PAZ,
MAS A PAZ É O MELHOR CAMINHO." (por Sissym)"

Compartilhe esse artigo:

Related Posts with Thumbnails Related Posts with Thumbnails

6 comentários:

  1. É muito complicada esta história né amiga!

    Meus pais também eram separados e quando o meu pai vinha me ver "Quase nunca" eu fugia ou fingia que estava dormindo para não vê-lo...
    Eu o amava,mas nem eu mesmo sei porque fazia isto?

    É C-O-M-P-L-I-C-A-D-O...

    ResponderExcluir
  2. Amiga, independente de qualquer postura que esse sujeito adote para ferir a sua imagem, para denegrí-la, você será SEMPRE a mãe. E mãe é única. Sua filha sabe e sente isso. Está, desde de sua barriga nesse elo eterno e, talvez, seja por isso que o pai fique buscando artifícios para afastá-la de você. Te garanto que é uma tentativa nula, em vão. Eu costumo dizer que nós MÃES temos 9 meses de vantagem! São 9 meses onde o filho é apenas nosso e de ninguém mais! Nesse período já estabelecemos um canal de comunicação que homem/pai nenhum terá! Portanto, minha linda, fique em paz e (mais uma vez) confie em Deus. Ele não te deu essa bênção para depois tirá-la assim.
    Grande e carinhoso beijo!

    ResponderExcluir
  3. Sissy
    É uma situação triste e complicada.
    Mas voce tem direito sobre sua filha,como mãe...Lute pelos seus direitos.
    Não deixe que a espezinhem:seu ex e familia dele...Vá á escola e fale com a directora e esclareça o que está acontecendo:seu nome tem que estar lá nos dados de sua filha:
    E...muito amor e compreensão para a sua filhinha e paciencia ,fé em Deus que tudo se vai resolver para bem de todos!!!!

    Tem um feliz feriado

    bjs
    joana

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho um filho de um casamento desfeito e dois do atual. Sempre lutei muito para que meus filhos tivessem boa educaçao e fossem capazes de vencer na vida, com todos desafios que ela impoe.
    Os dois filhos que vivem comigo vao muito bem, Graças a Deus, porém, tenho uma frustraçao enorme porque nunca consegui ajudar ao meu filho mais velho do mesmo modo como consegui fazer com os dois mais novos.
    O resultado é que nao parecem irmaos, o primeiro vive imensas dificuldades por força do despreparo...
    ... ele é o resultado alienaçao parental, sua mae, sei lá por quais motivos, resolveu me eliminar da vida dele e ele paga a conta até hoje, sem que eu saiba como poder ajuda-lo.
    É triste você ver um filho tao carente de tantas coisas enquanto seus irmaos nao sofrem com as mesmas faltas.
    Êle é uma excelente pessoa mas sua criaçao e sua educaçao o fazem incapaz de construir algo melhor para si mesmo enquanto os outros dois vao resolvendo suas vidas e construindo suas vitórias.

    ResponderExcluir
  5. Sissym, na minha época de faculdade para a cadeira de psicologia comportamental, desenvolvi um trabalho sobre a ótica das crianças que passaram pela alienação parental. O foco era pesquisar até onde esta disparidade egoísta dos pais (ou um deles) pode afetar na vida profissional e na capacidade de sucesso.
    E no estudo verificamos que a produtividade e a capacidade de superação destas pessoas fica muito abaixo da média.
    Minha irmã já trabalhou em uma ong que assiste mulheres vítimas de violência e um setor desta ong atende as crianças destas mulheres.... e vi por vídeo muitos depoimentos fotíssimos de crianças, que não entendem e ficam confusas com seus sentimentos. Pois elas amam aquele ser (pai ou mãe) e ao mesmo tempo são obrigada a negar este sentimento....
    É triste ver como alguns seres humanos ainda em pleno século XXI são capaz de enxergar somente a si memsmo e seus desejos pessoais....
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  6. Olá amiga!

    Preocupante esta situação quando acontece a separação, e uma criança está no meio do furacão.

    Que Deus conforte a todos que vivem nesta situação deprimente,porém, só Deus para acalentar os corações.

    Abraços

    Ailton
    www.extremosulgospel.com.br

    ResponderExcluir

Recados: sissym.mascarenhas@hotmail.com
Obrigada