Thanks for your visit. Comments or contact: sissym.mascarenhas@hotmail.com

domingo, 26 de abril de 2009

Carlos Drummond de Andrade

Ontem, no casamento de meus amigos Luciana F. e Rodrigo B., a juíza leu o maravilhoso poema AMAR - VERBO INTRANSITIVO, que logo abaixo volto a lembrar ou apresentar aos leitores:



Se os olhares se cruzarem e neste momento,
houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta:
pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa ...

Se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça:
Deus te mandou um presente divino - o amor.

Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca
receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem
mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um para o outro ...

Se você conseguir, em pensamento,
sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado ...

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a
outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura,
que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida ...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo estando ela de pijamas velhos,
chinelos de dedo e cabelos emaranhados ...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo,
ansioso pelo encontro que está marcado para a noite ...

Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma,
um futuro sem a pessoa ao seu lado ...
É o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva.

Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e,
mesmo assim tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela ...

Se você preferir morrer, antes de ver a outra partindo ...
É o amor que chegou na sua vida !

Por isso, preste atenção nos sinais - não deixe que as loucuras do dia-a-dia
o deixem cego para a melhor coisa da vida:
muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida,
mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.
Ou, às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais,
deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

Preste atenção nos sinais e não deixe que as loucuras do dia-a-dia
o deixem cego para a melhor coisa da vida:
O amor ...

Compartilhe esse artigo:

Related Posts with Thumbnails Related Posts with Thumbnails

5 comentários:

  1. Muito bonito, genial.
    E, tem um toque:
    'não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro'. Grande Drummond

    Abraços
    miguel heichard
    http://www.m-heichard.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema.
    Fico na dúvida, pois sempre achei que era do Mario de Andrade.
    Parabéns pela postagm
    Bjssss

    ResponderExcluir
  3. Aliás, desculpe, é que - Amar, verbo intransitivo - é um romance de Mário de Andrade, publicado em 1927. Não conhecia este poema do Drummond.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Sim Berenice, existe o livro de um e o poema do outro. Eu pesquisei na internet. E coloquei esta informação no diHITT. Beijos.

    ResponderExcluir

Recados: sissym.mascarenhas@hotmail.com
Obrigada